Arquivo de 2_Redes Sociais

As redes sociais colaborando em momentos de crise

Posted in Mídias Sociais with tags , , , , , on 26 de Novembro de 2008 by Israel Scussel Degásperi

“O estado de Santa Catarina está em alerta. Hoje, 22 de Novembro de 2008, uma hora da manha, chove forte na cidade de Blumenau e no estado inteiro. E tenho que interromper de postar pois acaba a luz e cai a Internet.”

Boa noite, a partir deste primeiro parágrafo, muita coisa mudou sobre esse post. Vamos as atualizações. Hoje é dia 25 de Novembro, terça feira, 20h15 da noite.

Choveu muito na cidade. O rio chegou a quase 12 metros acima do nível normal. Assim como as outras tragédias ocorridas em 1983, e novamente, em 1984, o que chama a atenção são os movimentos de solidariedade da população da cidade e das regiões vizinhas.

Várias pessoas mobilizaram-se. Utilizando-se da internet através das redes sociais para compartilharem suas experiências nesse momento de crise, que vai desde o excesso de chuva, alagamentos, deslizamentos, queda de energia e o pânico gerado na população. Através da comunidade no orkut da cidade de Blumenau, pode-se ver várias fotos nos albúns das pessoas que registraram a tragédia na cidade, como Béio. Para ajudar veja os dados da campanha S.O.S Blumenau.

sosblumenau1

Pela facilidade de se escrever no Twitter (inclusive gente postando pelo celular, depois que já havia caído a luz) ,  as pessoas estão postando e organizando suas informações pela tag #blumenau e esse conteúdo pode ser acessado também pelo blog comunitário www.allesblau.wordpress.com que nesse endereço teve 250 mil acessos e que teve que ser movido para o www.allesblau.net, aonde ainda não informaram os dados de acesso, mas o farão em breve pelo google analytics. O msn também foi muito utilizado para comunicação enquanto ainda havia luz e internet na cidade. O blog conta com vídeos postados no youtube, fotos e informações pautadas pelos contribuintes alxsantos, Ariel Gajardo, Carlos Augusto Wolff Filho, Denis Budag, Fábio Ricardo, Grace Athayde, graes, Jonatan, Ju Plens, jululi, Mark, nadinegenies, Thiago Duwe,Thiarles Wachter. Parabéns galera !! Pelo Twitter também foram postadas minuto a minuto várias informações, desde o nível do rio até rotas seguras para entrar e sair da cidade ou se locomover entre os bairros, o que foi caótico. veja o que foi dito pelo canal #blumenau. Se você quiser colaborar basta entrar em contato pelos comentários do blog ou pelo twitter. É aberto para quem quiser, uma forte característica da web2.0. Veja mais no artigo científico sobre a internet. 

abaixo um vídeo de um dos trechos de Blumenau.

 

e a seguir trechos no mapa, via google maps de trechos bem atinjidos pelas cheias.

O maior shopping da cidade, o Neumarkt, teve que ser interditado, pois cairam barreras na rua lateral, e seu estacionamento ficou cheio de água, além de não ter água potável para a praça de alimentação poder cozinhar, lavar sua louça, inclusive para o setor de limpeza, limpar os banheiros.

Mapa  

A mídia tradicional também está envolvida, mas pela estrutura da coisa não tem a capacidade de acompanhar a situação em curtos períodos de tempo, no caso da televisão que tem uma programação por região, pela rádio que parou de transmitir a meia noite e volta as sete da manha e pelo jornal que só irá atualizar todas as noticias na próxima edição.

Enfim, independente do meio que você seja atingido pela noticia, o mais importante é o fato.

Este posto foi escrito, editado sempre ao som de Chico Science & Nação Zumbi. Da lama ao caos, bem pertinente, não é mesmo ? O videozinho é de um show da nação Zumbi, em 2006. 

Anúncios

Mensagem e as novas mídias

Posted in Mídias Sociais with tags , , , , , on 14 de Novembro de 2008 by Israel Scussel Degásperi

 

 

            Aconteceram, nos últimos dois meses em São Paulo, grandes eventos, sendo eles o Digital Marketing Summit, e o New Brand Communication. Esses eventos, transmitidos ao vivo via twitter, por diversas pessoas, todas com seus respectivos blogs, falam de ações voltadas para a internet, de como atingir seu publico alvo, através do marketing viral, do marketing de guerrilha, discutindo o valor da marca, o relacionamento marca / empresa com seus consumidores através de blogs, o mobile marketing, entre muitas outras ferramentas e assuntos, noticiaram o que, nós publicitários, jornalistas, relações públicas e assessores de comunicação, se bem informados, deveríamos saber. Os meios de comunicação estão evoluindo, muito rápido, e quem acompanha esta evolução, gera informação. Seja via Internet, via celular, via email ou sinal de fumaça as pessoas compartilham, desde sentimentos, até seus desejos e necessidades, com relação a uma marca, produto ou serviço. E a partir deste ponto, desenvolverei minha idéia, sobre todos esses elementos que envolvem a mensagem e as novas mídias. Apesar de ter citado os eventos, não tenho a pretensão de fazer uma resenha sobre eles, apesar de eventualmente fazer alguma citação pertinente ao assunto.

 

Mike Wilson da Oil Productions, de Londres disse no nbc08 que, a mensagem é mais importante do que o meio que utilizamos” retirado do blog SimViral postado por Rafael Ziggy.

 

             Vamos começar do começo. Segundo Bordenave, a comunicação é a força que dinamiza a vida das pessoas. Independente da língua que é falada e sabendo-se que a comunicação ocorre de diversas maneiras, que não necessariamente pela linguagem oral, é através da comunicação que as pessoas interagem e se organizam, agrupando-se em comunidades. Isto é importante mencionar, pois um assunto muito atual, são as redes sociais e o fenômeno gerado por elas na população do mundo inteiro.

Através da Internet, que é uma mídia de massa, e vive seu auge no Brasil, atingindo 40 milhões de brasileiros, seja em casa, trabalho, escolha, cybercafés, lan houses e bibliotecas as pessoas se informam, se comunicam e se relacionam, passando em média 23 horas e 12 minutos por mês online, segundo o IBOPE NetRatings.

Mas com tanta tecnologia, a facilidade em se obter alcance e freqüência em uma mensagem parece ser fácil atingir seu público alvo não é não? Mas, o que parece difícil é como fazer para que no meio de tanta informação, tecnologia, a possibilidade para um anunciante entrar em contato com seu público, é fazer com que esta mensagem, seja assimilada e gravada na memória do consumidor. Para isso meu amigo, não há tecnologia no mundo que resolva, é preciso se destacar e para isso é preciso ter CRIATIVIDADE.

Então, para uma marca, produto ou serviço ser lembrada pelo seu consumidor ela deve estar presente nos ambientes em que seu consumidor está. Outro fator muito importante a ser citado neste meu pensamento é a chamada convergência. O Rádio não acabou quando a televisão surgiu, o jornal não acabou quando os blogs, sites e versões online dos periódicos surgiram. O que acontece é que esses meios sempre estarão presentes nas vidas das pessoas, basta saber como atingi-las.

            Por isso independente da mídia utilizada, é preciso ter criatividade na forma em que sua mensagem será transmitida e além disso, estar presente na vida das pessoas que você quer atingir. E isso é importante, pois há meios muito mais sutis de fazer seu cliente entrar em contato com sua marca do que no intervalo comercial da novela ou programa de auditório no formado de 15 ou 30 segundos. Porém, independente de toda tecnologia, novas mídias, o que realmente importa é a sua mensagem. E a tecnologia, presente na internet, nas redes sociais ainda facilitam e lhe dão dicas de como produzir esta mensagem, afinal de contas às pessoas expõem seus desejos e suas necessidades em comunidades nas redes sociais. As pessoas lhe dão dicas preciosas de como fazer com que a sua marca seja memorizada. Mas graças a Deus nem todas as pessoas entendem esses sinais. É por isso que nós, profissionais de comunicação, devemos estar muito atentos, para não morrer afogado, nesse tsunami de tecnologia, informação, mídia, mensagem e experiências.

            Até a eleição nos EUA fez uso dessas tecnologias, fazendo com que o canditado Barack Obama entrasse para a história mundial sendo o primeiro negro a assumir a presidência da potencia mundial que é os Estados Unidos, utilizand-se da internet para financiar e angariar votos para sua histórica campanha 2.0.

Mas analisando alguns dados podemos perceber que o brasileiro em si, está muito atendo as novas tendências, utilizando-se desse tsunami para surfar as ondas das novas tecnologias. Prova disso são os dados que irei apresentar a seguir.

            Segundo o Interative Advertising Bureau (2008), os investimentos em propaganda na internet brasileira cresceram cerca de 45,8% do ano de 2006 para 2007, gerando uma receita de 527 milhões de reais. A participação da internet nos investimentos totais em mídia, subiu de 2,1% em 2006 para 2,8% em 2007. E você tem alguma dúvida que este valor será ainda maior em 2008? É importante dizer que esses valores não levam em consideração os anúncios veiculados nas páginas em português das duas potências da internet mundial, o Google e o Yahoo, que mantêm sigilo sobre essas informações. Estima-se porém, que essas duas empresas gerem uma receita de 150 milhões de reais. Se levarmos em consideração esse valor, os investimentos em publicidade online sobem para 677 milhões de reais em 2007 colocando a internet num patamar de investimento superior ao de mídias tradicionais como a TV por assinatura, que gerou cerca de 639 milhões de reais e que quase alcança os investimentos em rádio, que no ano de 2007 renderam cerca de 767 milhões de reais. Impressionante não é mesmo? E esses valores tendem a subir, pois estima-se que 1900 cidades no Brasil já tem acesso a internet banda larga.

            Todos esse fatores colaboram para que o consumidor esteja cada vez mais conectado, segmentando o público e fazendo com que as principais redes sociais, como o Orkut (que já atinje 78% dos brasileiros), o Facebook (mais utilizado pelos turcos), o HI5 que é mais utilizado pelos peruanos, o Friendster (mais utilizado pelos filipinos), o Linkedin (é mais utilizado pelos indianos) e o Last Fm que é mania entre os finlandeses. O Twitter apesar de estar começando no Brasil (claro que já conta com muitos adeptos, bem viciados em postar o que estão fazendo, e utilizando-se dessa ferramenta como teaser e também como meio de divulgar o link para seus posts em seus blogs) é a rede social que mais faz sucesso entre os japoneses. Estes dados foram obtidos através de uma pesquisa, realizada pela Comstore, que diz que cerca de 132 milhões de americanos acessaram o Facebook só no mês de junho de 2008. Os outros dados são da Pingom, cuja sede fica na Suécia e lista os 12 sites mais populares do mundo, sendo eles: MySpace, Facebook, Hi5, Friendster, LinkedIn, Orkut, Last.fm, LiveJournal, Xanga, Beboo, Imeem e Twitter. A pessoa responsável por compilar esses dados em seu blog é Francis Pisani.

Embaralhou tudo? Fica calmo, e pensa. Quem é seu público alvo? Como seu produto é visto pelo seu consumidor? Como seu consumidor gasta ou investe seu tempo livre? Quais são os lugares que seu consumidor costuma freqüentar? Quantas horas por mês seu consumidor utiliza a Internet? Seu consumidor acessa Internet pelo celular? Com quantas pessoas seu cliente costuma se relacionar e quais redes sociais ele utiliza? Claro que não é só isso, mas é um bom começo…

Parece complicado, mas o mais importante é ter uma boa idéia. E transmitir essa idéia para o maior número de pessoas possível e que essas pessoas ainda transmitam essa idéia para o maior número de amigos possíveis, além de expressar sua opinião sobre sua marca para seus amigos e que essa opnião para o seu bem seja positiva. E se por acaso não for, que você se utiliza dessa informação e dessa tecnologia para consertar a eventual falha de seu produto ou serviço São as novas mídias transmitindo uma mensagem criativa e criando uma relação entre seus consumidores.

                       

Digital Marketing Summit 2008

Posted in Pesquisa with tags , , , on 5 de Outubro de 2008 by Israel Scussel Degásperi

Aconteceu no dia 30 de setembro em SP o evento da jump education em parceria com o IBOPE NetRatings, que falou sobre estratégias de comunicação digital.

Segundo Maristela Alves, diretora de conteúdo da JumpEducation, “a convergência de mídias está modificando a comunicação corporativa. As novas mídias, como redes sociais, mobile marketing e blogs, misturam de forma inédita publicidade, entretenimento e informação, e necessitam de uma abordagem criativa e inovadora nos planejamentos de comunicação e estratégia de marca”.

O Brasil é o país que consome esse tipo de tecnologia igualmente com países de primeiro mundo e é o pais que bateu recorde de tempo de navegação na internet por mês, cerca de 23 horas e 12 minutos por mês. Deve-se a isso o fato que em maio de 2008 o índice de brasileiros que utilizam Banda Larga em seus domicílios é de 82,5% segundo o IBOPE NetRatings. è

A seguir iremos ver alguns slides apresentados pelo Alexandre Magalhães, gerente de análise de mercado do IBOPE NetRatings apresentado e cedido pelo professor Beto Del Carratore no módulo de Mensagem e Mídia do curso de pós graduação em Novas Mídias, Rádio e TV aqui da FURB. 

  

Podemos perceber como é forte o uso das principais redes sociais no Brasil e que esses números vêem aumentando. Fica claro que não devemos ignorar esses dados quando formos elaborar um planejamento de uma campanha. Impossível descartar essas mídias em qualquer campanha publicitária.  Eu concordo que só essas mídias talvez não bastem. Analisando o briefing e fazendo um bom planejamento deve-se fazer o cruzamento com outras mídias para complementar a campanha e potencializar o alcance ou a frequência dependendo do objetivo da campanha.

E o que me assusta é que estou fazendo uma busca de agências para enviar meu curriculum aqui na região e muitas delas simplesmente ignoram as redes sociais como mídia. Mais eu não desistirei hahaha !

Pesquisa em Comunicação na Pós

Posted in Mídias Sociais with tags , on 29 de Setembro de 2008 by Israel Scussel Degásperi

Quando será que esse tipo de pesquisa se tornará comum aqui no Brasil ? Esse foi o trabalho de avaliação final da matéria de pesquisa na pós graduação.

Notícia: Executivos nos EUA pesquisam os candidatos nas redes sociais

 

22% dos executivos americanos encarregados de contratar pessoal usam os sites de rede social para fazer pesquisas sobre os candidatos. Há 2 anos, esse percentual era de 11%. E 34% desses executivos dizem que descartam candidatos com base no que descobriram na internet. As informações são de uma pesquisa do site de empregos CareerBuilder.com. Notícia da Reuters. 12/09/2008 BlueBus

Israel: Muito mais que um ambiente utilizado para lazer e comunicação a internet já é considerada uma nova mídia. Através desta pesquisa quantitativa pode-se observar que as redes sociais já vêem sendo pesquisadas. As redes sociais caracterizam-se por pessoas que criam seus perfis, com dados pessoais e criam comunidades, que constituem-se de grupos de pessoas, com perfis diferentes, mas com interesses em comum. Através desse ambiente as pessoas se socializam e trocam experiências sobre marcas e serviços, divulgam eventos, trabalhos que realizam, etc… E com isso as pessoas também se utilizam dessa ferramenta para pesquisar áreas, produtos e serviços de seu interesse.

Tanto isso é verdade, que o IBOPE/NetRatings criou um software (Social Media) para medir a audiência nas redes sociais e descobriu que o impacto para uma marca numa rede social é quinhentas vezes maior do que numa mídia tradicional. Isso é possível, pois as pessoas estão interligadas entre si, e trocam experiências, sejam positivas ou negativas, de produtos e serviços. Se você deseja comprar um celular, por exemplo, você pode entrar numa comunidade de pessoas que usam essa marca ou modelo de aparelho e saber a opinião dessas pessoas a respeito do aparelho e até criar uma comunidade para fazer a comparação entre dois aparelhos diferentes existentes no mercado, ouvindo a opinião das pessoas que utilizam os dois modelos e ai sim, optar ou não pela compra de determinado modelo de celular.

Da mesma forma é possível pesquisar os hábitos de uma pessoa, aonde estuda, quem são seus amigos, aonde gosta de passar seu tempo livre, quais programas de televisão ela assiste, qual seu gênero favorito de filmes, músicas, e até que tipo de comida costuma comer. Por isso as redes sociais vêem demonstrando uma ferramenta muito eficiente para se fazer pesquisa de mercado na internet. Agora deve-se tomar um cuidado especial pois na internet as pessoas costumam fantasiar e projetar nesse ambiente quem elas gostariam de ser, lugares que gostariam de freqüentar e até produtos que gostariam de ter mas que não possuem condições. No caso da notícia acima ficou comprovado que os recrutadores deixam de contratar pessoas pelas informações que descobrem na internet. Por isso é bom não fantasiar demais em suas comunidades e tão pouco confessar costumes esquisitos na internet achando que ninguém descobrirá.